Páginas

domingo, 7 de outubro de 2012

Complicação insubstituível

Insubstituível, isso não existe. Por mais duro que seja dizer isso, ouvir isso, é a mais pura verdade. É inevitável, você substitui coisas, gostos, ideias, amigos, pessoas, pessoas... Enquanto está vivendo algo, você pensa em nunca abandonar, você deixa ser dominado por um órgão oco que tem como função bombear um líquido que chamam de sangue de forma que isso faça você viver. Complexo, não é? Como assim você muda sua forma de pensar, algo que vem de impulsos nervosos, através de algo "oco" que faz esse sangue circular? O racional se torna, se torna, se torna o que? Por um momento, a decisão está tomada e você tem algo certo na mente, algo que pensou e disse que não vai acontecer e...aconteceu. Essa semana me disseram que eu penso muito. Pensar muito era a última coisa que eu imaginei que seria um problema. O problema é que a maioria não pensa então você acaba se tornando alguém diferente, será que é isso? Não digo que as pessoas são ignorantes porque todos nós somos, mas digo no sentido de que pessoas agem por impulso, sem medo, sem se colocar no lugar do outro e eu realmente me importo com a opinião do outro. A explicação da vez foi, que se eu pensar muito, não vivo. Realmente, se você for reparar nas calorias de tudo, você não come chocolate, não bebe coca-cola, ou seja, sua vida será uma merda e você vai morrer do mesmo jeito. Afinal, nascemos pensando na morte e isso é horrível. É, talvez eu pense muito. Os cinco sentidos que nosso corpo tem existem por dois motivos simples: te dar prazer e te confundir. Se pensarmos bem, a confusão também é prazerosa. Sim, essa sou eu pensando demais novamente. Quando preciso de chocolate, eu como. Quando eu preciso de você, eu escondo. Agora me expliquem o porquê disso. Essa é a cabeça cancelando os sentidos sem eu pedir. Está aí a arte de pensar e não fazer nada por impulso, afinal você não sabe de nada, não conhece o chão à sua frente. E se for um buraco? E se quebrar o gelo bem ali? E se..? E se..  Muitas possibilidades precisam aparecer para fazer você pensar, mas mesmo assim tem aqueles que não querem pensar nisso e acabam correndo um risco gigante. Vamos com calma, são pessoas aqui, pessoas que se machucam, pessoas que possuem medos, pessoas que também pensam. Escolhas são escolhas, cada um tem a sua, mas se os sentidos se juntarem e baterem lá naquele "órgão oco", não posso dar certeza se fará eco ou não. Esse eco é complicado, está complicado...

5 comentários:

  1. Sabe aquele texto que aparece na hora certa? Então, o seu é um deles.

    Escolhas e mais escolhas? Somos feitos disso, afinal... Mas e quando estas não são bem decididas?

    http://olacocorderosa.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. Fico feliz que tenha gostado do post, Ana! Sei que todos passam por essa complicação e, se não existissem as escolhas inesperadas e incertas, não teria graça!
    Volte sempre! :)

    ResponderExcluir
  3. Gii...Adoro seus textos e este não foi diferente hehe o jeito como vc escreve é muito legal, vc consegue "por no papel" tudo aquilo q passa na cabeça da gente quando estamos só nós e deus hahaha como se fosse vc conversando com vc mesmo e isso é muito bacana...além de que a maioria deles tem sempre alguma coisa a ver (ou tudo) com o q eu to pensando hahahaha...demaisss parabéns mais uma vez...

    ResponderExcluir
  4. Faaabio, muito obrigada pelo elogio! É muito bom saber que tem gente gostando e se encontrando nos meus textos! :)

    ResponderExcluir
  5. Sabe o que é complicado? Ficar muito tempo sem seus textos... Volta a escrever, mulher! Feliz 2014!!

    ResponderExcluir